As características que tornam o genuíno mogno um favorito de longa data de trabalhadores de madeira são bem conhecidos, só não é tão comumente aceita como a definição de “genuíno.” Poderíamos facilmente argumentar que, se uma espécie de madeira é nomeada para a sua autenticidade, a alternativa tem ser uma falsificação, inferior ao negócio real. Quando se trata de Mogno, este raciocínio está longe de ser exato. Na verdade, Mogno Africano é tanto parte da família Meliaceae (mogno )como espécies da América do Sul e Central.

A distinção reside além da geografia nas classificações do gênero: Honduras ( “genuíno” ) Mogno faz parte do gênero Swietenia , enquanto as três espécies africanas fazem parte do gênero Khaya . Enquanto os mognos Khaya são distintos dos da espécie Swietenia de muitas maneiras, tornando este último preferível para alguns artesãos, a disponibilidade, sustentabilidade e acessibilidade das espécies africanas irão torná-los cada vez mais desejável para os outros.

Portas de Mogno Africano - Fonte: www.mahoganyoutlet.com/

Portas e Janelas de Mogno Africano – Fonte: www.mahoganyoutlet.com/

Quando se trata de aparência, tanto hondurenho quanto o africano poderiam ser descritos como tendo um tom marrom avermelhado profundo e atraente grãos. No entanto, o Mogno de Honduras tem um tom alaranjado, enquanto variedades africanas possuem uma tonalidade rosada. A espécie sul-americana tem um veio de madeira reto que muitos apreciam, enquanto as espécies africanas podem ter uma variedade de padrões de veios que o tornam mais atraente para alguns. Mogno africano também possui um brilho reluzente que fornece interesse visual adicional.

Quanto à durabilidade e funcionalidade estão em jogo, alguns artesãos preferem claramente a espécie hondurenha sobre qualquer uma das três espécies africanas. Devido à sua elevada densidade, todas as Meliáceas são resistentes aos cupins e a deterioração , mas esta maior densidade do mogno hondurenho comparado ao mogno Africano , causa uma resistência mais elevada . E esta menor resistência leva a facilidade no uso de ferramentas de mão e mais fácil  usinagem.

Estabilidade durante a secagem e capacidade de resposta para acabamento também contribuem para o fascínio de mogno, assim como suas qualidades tonais. Mogno da América do Sul e África são popularmente utilizados em instrumentos musicais, compensados ​​, painéis, acabamentos interiores, armários, móveis, luminárias e piso interior.

Com base nas características por si só, é fácil ver porque Mogno Africano tem sido mais acessível do que o seu homólogo sul-americano. A diferença está aumentando, principalmente  devido a  2003 CITES de Genuine Mahogany (mogno nativo)  como uma espécie em extinção . Como a colheita legal do mogno nativo torna-se mais rara, a rentabilidade para os madeireiros diminui, e menor oferta é menor o resultado. Com demanda consistente, os preços do mogno nativo continuam a subir, colocando-o fora do alcance de muitos construtores e artesões. Por isso o Mogno Africano é uma alternativa viável para muitas aplicações do mogno.

___________________________________________________________________________________________

The characteristics that make Genuine Mahogany a long-time favorite of wood workers are well known, if not quite as commonly accepted as the definition of “genuine.” One might easily reason that if one lumber species is named for its authenticity, the alternative must be a counterfeit, inferior to the real deal. When it comes to Mahogany, this reasoning is far from accurate. In fact, African Mahogany is just as much part of the Meliaceae (mahogany) family as the Central and South American species.

The distinction lies beyond geography in the genus classifications: Honduran (“Genuine”) Mahogany is part of the Swietenia genus, while the three African species are all part of the Khaya genus. While the Khaya mahoganies are distinct from the Swietenia species in many ways, making the latter preferable to some craftsmen, the availability, sustainability, and affordability of the African species make them increasingly desirable to others.

When it comes to appearance, both Honduran and African Mahogany could be described as having a deep reddish brown hue and attractive grain. However, Honduran Mahogany has an orange cast, while African varieties possess a pinkish tint. The South American species has a fine, straight grain that many appreciate, while the African species can have a variety of grain patterns that make it more attractive to some. African Mahogany also boasts a chatoyant luster that provides added visual interest.

As far as durability and workability are concerned, some craftsmen clearly prefer the Honduran species over any of the three African species. Due to their high density, all Mahoganies are resistant to termites and rot, but since Honduran Mahogany has a higher density than African Mahogany, Honduran Mahogany has the higher resistance. That same density leads to easy hand tooling and machining.

Stability during drying and responsiveness to finishing also add to the allure of Mahogany, as do their tonal qualities. Mahogany from both South America and Africa are popularly used in musical instruments, plywood, paneling, interior trim, cabinetry, furniture, fixtures, and interior flooring.

Based on characteristics alone, it’s easy to see why African Mahogany has long been more affordable than its South American counterpart. The gap is widening, though, due to the 2003 CITES listing of Genuine Mahogany as an endangered species. As legal harvesting of Genuine Mahogany becomes rarer, profitability for loggers decreases, and lower supply is the result. Even with consistent demand, the prices of Genuine Mahogany continue to climb, putting it out of reach for many builders and craftsmen. Still a true Mahogany, African Mahogany is a viable alternative for many Mahogany applications.

 

Fonte: www.mahoganyoutlet.com